Há várias maneiras de classificar os ossos.

Eles podem, por exemplo, ser classificados pela sua posi­ção topográfica, reconhecendo-se ossos axiais (que per­tencem ao esqueleto axial) e apendiculares (que fazem parte do esqueleto apendicular).

Entretanto, a classi­ficação mais difundida é aquela que leva em conside­ração a forma dos ossos, classificando-os segundo a predominância de uma das dimensões (comprimento, largura ou espessura) sobre as outras duas.

Assim, re­conhecem-se:

Osso longo

É aquele que apresenta um comprimento consideravelmente maior que a largura e a espessura.

Exemplos típicos são os ossos do esqueleto apendicular: fêmur, úmero, rádio, ulna, tíbia, fíbula, falanges.

Observe como o osso longo apresenta duas extremidades, denominadas epífises e um corpo, a diáfise.

Por esta razão, boa parte dos ossos longos apresentam um canal central, também conhecido como canal medular.

Osso alongado

Também apresenta um comprimento consideravelmente maior que a largura e a espessura.

No entanto são curvados em relação aos ossos longos e não apresentam canal central.

Ex: Costelas e clavículas.

Osso laminar

Também chamado (impropria­mente) plano, é o que apresenta comprimen­to e largura equivalentes, predominando sobre a espessura.

Ossos do crânio, como o parie­tal, frontal, occipital e outros como a escápu­la e o osso do quadril, são exemplos bem demonstrativos.

Osso curto

É aquele que apresenta equivalência das três dimensões.

Os ossos do carpo e do tarso são excelentes exemplos.

Ossos irregulares

 Apresenta uma morfologia complexa que não encontra correspondência em forma geométrica conhecidas.

As vértebras e o osso temporal são exemplos marcantes.

Ossos pneumáticos

 Apresenta uma ou mais cavidades, de volume variável revestidas de mucosa e contendo ar.

Estas cavidades recebem o nome de seio.

Os ossos pneumáticos estão situados no crânio: frontal, maxilar, temporal, etmóide e esfenóide.

Ossos sesamóides

Desenvolvem-se na substância de certos tendões ou da cápsula fibrosa que envolve certas articulações.

Os primeiros são chamados intratendínios e os segundos peri-articulares.

A patela é um exemplo típico de osso sesamóide intratendínio.

Osso fabela

É o nome dado a um osso sesamóide situado na cabeça lateral do músculo gastrocnêmio.

Wormianos

Também chamodos de Vormianos conhecidos como ossos intra-suturais, são ossos supranumerários que ocorem nas suturas do crânio.

São ossos irregulares e isolados que aparecem fora dos centros de ossificação do crânio e, embora pouco comuns, não são raros.

Referências Bibliográficas

SOBOTTA: Sobotta J. Atlas de Anatomia Humana. 21 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5 ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 7 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.

BONTRAGER: Kenneth L.;  John P.  Manual Prático de Técnicas e Posicionamento Radiográfico. 8 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

Gostou do conteúdo? Ajude-nos compartilhando em suas redes sociais.
Fechar Menu
Scroll Up