No seu conceito mais amplo, a anatomia é a ciência que estuda, macro e microscopicamente, a constituição, estrutura e o desenvolvimento dos seres organizados.

Especificamente, a anatomia (ana = em partes; tomein = cortar) macroscópica é estudada pela dissecação de peças previamente fixadas por soluções apropriadas.

Com a descoberta do microscópio desenvolveram-se ciências que, embora constituam especializações, são ramos da anatomia.

 

Assim, a:

Citologia (estudo da célula);

Histologia (estudo dos tecidos e de como estes se organizam para a formação de órgãos);

E a Embriologia (estudo do desenvolvimento do indivíduo).

 

Do mesmo modo poder-se ainda considerar:

 

Anatomia Radiológica (que estuda os órgãos, quer no vivente, quer no cadáver, por meio dos raios-x);

Anatomia Antropológica (que se ocupa dos tipos raciais);

Anatomia Biotipológica ou Constitucional (que se ocupa dos tipos morfológicos constitucionais);

Anatomia Comparativa (que se refere ao estudo comparado dos órgãos de indivíduos de espécies diferentes);

E uma Anatomia de Superfície (estudo dos relevos morfológicos na superfície do corpo do indivíduo).

Os sistemas que, em conjunto, compõem o organismo do indivíduo são os seguintes:

A) Tegumentar;

B) Esquelético;

C) muscular;

D) nervoso;

E) circulatório;

F) respiratório;

G) digestório;

H) urinário;

I) genital/reprodutor — feminino e masculino;

J) endócrino;

I) sensorial.

Alguns sistemas podem ser agrupados formando os aparelhos, ex:

 

A) aparelho locomotor: constituído pelos sistemas esquelético e muscular;

B) aparelho urogenital: constituído pêlos sistemas urinário e genital (masculino ou feminino).

Conceitos anatômicos

Normal

É tudo aquilo que esta presente na maioria das pessoas, o mais frequente, um dado puramente estatístico que determina um padrão de normalidade.

Ex: 5 dedos em uma mão, dois olhos, um nariz, etc…

Variação anatômica

É uma diferença do normal que não prejudica em nada a função ou o indivíduo

Ex: ausência da veia intermédia do cotovelo.

Anomalia

É uma alteração morfológica, que difere do normal, trazendo prejuízo a função, porém é compatível com a vida.

Ex: ter uma dedo a mais na mão, fenda palatina, irmãos siameses, etc…

Monstruosidade

É uma alteração morfológica, que difere do normal, trazendo prejuízo a  função, sendo incompatível com a vida.

Na figura é possível perceber pela seta branca o 3º irmão que não sobreviveu.

Fatores gerais de variação

Idade

As variações anatômicas ditas individuais devem-se acrescentar aquelas decorrentes da idade, do gênero, da etnia, do tipo constitucional (biótipo) e do ambiente.

Estes são, em conjunto, denominados fatores gerais de varia­ção anatômica.

Gênero

Anatomicamente é o caráter de masculinidade ou fe­minilidade.

É possível reconhecer órgãos de um e de outro sexo, graças a características especiais, mesmo fora da esfera genital.

Etnia

É a denominação conferida a cada grupamento humano que possui caracteres físicos co­muns, externa e internamente, pelos quais se distin­guem dos demais.

Conhecem-se, por exemplo, repre­sentantes das raças Branca, Negra e Amarela e seus mestiços, ou seja, “o produto do seu entrecruzamento”.

Ambiente

Sabe-se que fatores ambientais como o sol, clima e alimentação exercem influência no desenvolvimento do indivíduo (ex. pessoas com má nutrição podem não crescer o que poderiam).

Biótipo

É a resultante da soma dos caracteres herdados e dos caracteres adquiridos por influên­cia do meio e da sua interrelação.

Os dois tipos extremos são chamados longilíneo e brevilíneo e sua comparação denota melhor as diferen­ças, tanto nos caracteres morfológicos internos quanto os externos, acarretando uma construção corpórea di­versa.

 

Os longilíneos são indivíduos magros, em geral al­tos, com pescoço longo, tórax muito achatado ântero-posteriormente, com membros longos em relação à al­tura do tronco.

 

Os brevilíneos são indivíduos atarracados, em ge­ral baixos, com pescoço curto, tórax de grande dia metro ântero-posterior, membros curtos em relação à altura do tronco.

 

Os mediolíneos também chamados de normolíneos apresentam caracteres intermediários aos dos tipos precedentes.

Ectomorfos: Tem uma constituição leve, com articulações pequenas e predominância de massa muscular magra.

Normalmente o ectomorfo tem membros longos e finos com a musculatura fibrosa.

Ombros tendem a ser mais finos que a cintura.

As pessoas que tem esse tipo de corpo, tem uma maior dificuldade para ganhar peso devido ao seu metabolismo rápido.

 

Mesomorfos: Tem como principal característica uma estrutura óssea grande, grandes músculos e um corpo naturalmente atlético.

Mesomorfos tem o melhor tipo de corpo quando o assunto é musculação.

Tem extrema facilidade em ganhar e perder peso.

 

Endomorfos: Ganham gordura com muita facilidade, geralmente tem membros mais curtos, com braços e pernas grossas.

Tem a musculatura forte, especialmente nas pernas.

 

Referências Bibliográficas

BONTRAGER: Kenneth L.;  John P.  Manual Prático de Técnicas e Posicionamento Radiográfico. 8 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

DRAKE, Richard L.; VOGL, A. Wayne; MITCHEL, Adam W. M.: Gray’s anatomia clínica para estudantes. 3 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

HALL, John Edward; GUYTON, Arthur C. Guyton & Hall tratado de fisiologia médica. 13 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2017.

NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5 ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 7 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.

SOBOTTA: Sobotta J. Atlas de Anatomia Humana. 21 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

Gostou do conteúdo? Ajude-nos compartilhando em suas redes sociais.

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Scroll Up