Cíngulo superior

O cíngulo do membro superior consiste em dois ossos: a clavícula e a escápula.

A função da clavícula e da escápula é servir como um elo entre cada membro superior e o tronco ou esqueleto axial.

Anteriormente, o cíngulo do membro superior se conecta ao tronco na porção superior do esterno; entretanto, posteriormente, essa conexão é incompleta porque a escápula está ligada ao tronco somente por músculos.

Vista superior

cingulo superior
SOBOTTA: Sobotta J. Atlas de Anatomia Humana. 21 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

Escápula

A escápula é um osso laminar que apresenta um corpo triangular com duas formações bem salientes, a espinha (que termina lateralmente no acrômio) e o processo co­racóide.

Observe num esqueleto articulado que a face anterior do corpo adapta-se à curvatura posterior da caixa torácica e por esta razão é côncava e deno­minada face costal (por sua relação de proximida­de com as costelas).

 

A figura permite reco­nhecer sem dificuldade:

A margem medial; 

A margem la­teral; 

A margem superior; 

O acrômio (que se articula com a clavícula);

O processo coracóide; 

O ân­gulo superior;

E o ângulo inferior.

Um terceiro ângulo, o lateral, corresponde na verdade ao ponto de junção das bordas lateral e superior.

Neste pon­to ele se espessa para formar a cabeça da escápula, a qual se acha unida ao resto da escápula pelo colo.

Vista posterior

SOBOTTA: Sobotta J. Atlas de Anatomia Humana. 21 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

Note que a face lateral da cabeça forma a cavidade glenóide, côncava, rasa e que rece­be a cabeça do úmero. 

Não é raro que as escápulas manuseadas pelos estudantes apre­sentem-se roturas no corpo: como a escápula é um osso laminar muito fino, estas roturas podem ocorrer no processo de preparação da peça.

Quando ínte­gra, a face costal, também conhecida como fossa subescapular, pode apresentar várias cristas não mui­to elevadas que servem à fixação do m. subescapu­lar.

Vista anterior

SOBOTTA: Sobotta J. Atlas de Anatomia Humana. 21 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

Vista lateral

SOBOTTA: Sobotta J. Atlas de Anatomia Humana. 21 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

Clavícula

A clavícula é um osso alongado com uma curvatura dupla que tem três partes principais: duas extremidades e uma porção central longa.

A extremidade lateral ou acromial da clavícula se articula com o acrômio da escápula. 

Essa articulação é chamada acromioclavicular e geralmente pode ser palpada com facilidade.

A extremidade medial ou esternal articula-se com o manúbrio, que é a parte superior do esterno.

Essa articulação é chamada esternoclavicular e também é facilmente palpada.

A combinação das articulações esternoclaviculares de cada lado do manúbrio ajuda a constituir uma importante referência anatômica de posicionamento chamada incisura jugular ou furcula esternal.

O corpo (diáfise) da clavícula é a porção alongada entre as duas extremidades:

A extremidade acromial da clavícula é achatada e tem uma curvatura para baixo em sua fixação no acrômio.

A extremidade esternal tem formato mais triangular e é direcionada para baixo para articular-se com o esterno.

Em geral, o tamanho e o formato da clavícula diferem em homens e mulheres.

A clavícula feminina geralmente é mais curta e menos curva que a masculina.

A clavícula no homem tende a ser mais espessa e mais curva.

Geralmente, esta última característica é mais evidente em homens muito musculosos.

NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5 ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

No tubérculo conóide prende-se o ligamento conóide.

E estendendo-se lateral e anteriormente, identifica-se uma área rugosa, a linha trapezóidea, onde se fixa o ligamento trapezóide.

Referências Bibliográficas

BONTRAGER: Kenneth L.;  John P.  Manual Prático de Técnicas e Posicionamento Radiográfico. 8 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

DRAKE, Richard L.; VOGL, A. Wayne; MITCHEL, Adam W. M.: Gray’s anatomia clínica para estudantes. 3 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

HALL, John Edward; GUYTON, Arthur C. Guyton & Hall tratado de fisiologia médica. 13 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2017.

NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5 ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 7 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.

SOBOTTA: Sobotta J. Atlas de Anatomia Humana. 21 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

Gostou do conteúdo? Ajude-nos compartilhando em suas redes sociais.
Fechar Menu
Scroll Up