Planos de delimitação do corpo humano

Na posição anatômica o corpo humano pode ser delimitado por planos tangentes à sua superfície, os quais, com suas intersecções, determinam a formação de um sólido geométrico, um paralelepípedo. 

 

Tem-se assim, para as faces desse sólido, os se­guintes planos correspondentes:

 

A) Dois planos verticais, um tangente ao ventre — plano ventral ou anterior — e outro ao dor­so — plano dorsal ou posterior.

Estes e outros a eles paralelos são também designados como planos frontais, por serem paralelos à “fron­te“.

Via de regra, as denominações ventral e dorsal são reservadas ao tronco e anterior e posterior, aos membros;

B) Dois planos verticais tangentes aos lados do corpo — planos laterais direito esquerdo;

C) Dois planos horizontais, um tangente à cabe­ça — plano cranial (cefálico) ou superior — e outro à planta dos pés — plano podálico (de podos – pé) ou inferior.

 

O tronco isolado é limitado, inferiormente, pelo plano horizontal que tangencia o vértice do cóccix, ou seja : o osso que no homem é o vestígio da cauda de outros animais.  Por esta razão, este plano é denomina­do caudal.

Resumo:

Eixos do corpo humano

Quando é observado o movimento do corpo humano, aplica-se o conhecimento de eixo.

Os eixos são linhas imaginárias que atravessam os planos do corpo perpendicularmente para possibilitar movimentos.

Lembrando que estes planos e eixos serão sempre aplicados nas partes do corpo humano que permitem graus de movimentos amplos (articulações diartrose).

 

Eixo Látero-Lateral: estende-se de um lado ao outro, tanto da direita para esquerda ou vice-versa.

Também é conhecido como Transversal ou Horizontal.

Possibilita os movimentos de flexão e extensão.

Eixo Ântero-Posterior: estende-se em sentido anterior para posterior, perpendicular ao plano frontal.

Também é chamado de sagital.

Possibilita os movimentos de abdução e adução.

Eixo Longitudinal: estende-se de superior para inferior ou vice-versa, perpendicular ao plano transversal.

Possibilita os movimentos de rotação lateral e rotação medial.

Referências Bibliográficas

BONTRAGER: Kenneth L.;  John P.  Manual Prático de Técnicas e Posicionamento Radiográfico. 8 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

DRAKE, Richard L.; VOGL, A. Wayne; MITCHEL, Adam W. M.: Gray’s anatomia clínica para estudantes. 3 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

HALL, John Edward; GUYTON, Arthur C. Guyton & Hall tratado de fisiologia médica. 13 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2017.

NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5 ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 7 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.

SOBOTTA: Sobotta J. Atlas de Anatomia Humana. 21 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

Gostou do conteúdo? Ajude-nos compartilhando em suas redes sociais.
Fechar Menu
Scroll Up