Sistema muscular

Os músculos são órgãos constituídos principalmente por tecido muscular, especializado em contrair e realizar movimentos, geralmente em resposta a um estímulo nervoso.
Os músculos podem ser formados por três tipos básicos de tecido muscular:
Músculo liso:
Está presente em diversos órgãos internos.
Músculo estriado esquelético:
Permitem os movimentos dos diversos ossos e cartilagens.
Músculo cardíaco ou miocárdio:
Este tipo de tecido muscular forma a maior parte do coração dos vertebrados.
O músculo cardíaco é involuntário. É controlado pelo sistema nervoso autônomo.
Este músculo será melhor estudado no sistema cardiovascular (coração).

Tecido Muscular Liso

A contração dos músculos lisos é geralmente involuntária, ao contrário da contração dos músculos esqueléticos. Tem sua contração mediada pelo sistema nervoso autônomo, ou seja, por isso realizam movimentos involuntários.
As células musculares lisas são uninucleadas e os filamentos de actina e miosina se dispõem em hélice em seu interior, sem formar padrão estriado como o tecido muscular esquelético.
Está presente em diversos órgãos internos. É constituído por fibras fusiformes dotadas de um núcleo alongado e central.
Essas fibras, de contração lenta e involuntária, ocorrem organizando certos músculos, como os do tubo digestivo (esôfago , estômago e intestino) e dos vasos sanguíneos.

Tecido Muscular Estriado Esquelético

É inervado pelo sistema nervoso central e, como este se encontra em parte sob controle consciente, chama-se músculo voluntário.
As contrações do músculo esquelético permitem os movimentos dos diversos ossos e cartilagens do esqueleto.
Apresenta, sob observação microscópica, os sarcômeros, faixas alternadas transversais, claras e escuras.
Essa estriação resulta do arranjo regular de microfilamentos formados pelas proteínas actina e miosina, responsáveis pela contração muscular.
A célula muscular estriada chamada fibra muscular, possui inúmeros núcleos e pode atingir comprimentos que vão de 1mm a 60 cm.
O sistema muscular esquelético constitui a maior parte da musculatura do corpo, formando o que se chama popularmente de carne.
Essa musculatura recobre totalmente o esqueleto e está presa aos ossos, sendo responsável pela movimentação corporal.
 
Os componentes que formam o músculo estriado esquelético são:
Ventre;
Tendão ou aponeurose (quando tiver forma mais “alargada”).
O ventre é a parte avermelhada do músculo, e formado principalmente por células musculares, é a parte responsável por realizar a contração.
Cada célula muscular presente no ventre (e somente no ventre já que não existem células deste tipo nos tendões) é revestida por uma membrana chamada endomísio; ao se juntar com outras iguais a ela, esta célula muscular forma um grupo de células chamado fascículo muscular, o qual é revestido por uma membrana denominada perimísio.
Por fim, o ventre muscular (revestido pelo epimísio) é formado por um conjunto de fascículos.
Os revestimentos endomisio, perimísio e epimísio continuam além do ventre muscular, dando origem assim ao tendão ou aponeurose

Sarcômeros

As fibras musculares esqueléticas tem o citoplasma repleto de filamentos longitudinais muito finos, (as miofibrilas) constituídas por microfilamentos das proteínas actina e miosina.
A disposição regular dessas proteínas ao longo da fibra produz o padrão de faixas claras e escuras alternadas, típicas do músculo estriado.
As unidades de actina e miosina que se repetem ao longo da miofibrila são chamadas sarcômeros.
As faixas mais extremas do sarcômero, claras, são denominadas banda I e contém filamentos de actina.
A faixa central mais escura é a banda A, as extremidades desta são formadas por filamentos de actina e miosina sobrepostos, enquanto sua região mediana mais clara, (a banda H), contém miosina.

Teoria do deslizamento dos filamentos

Quando o músculo se contrai, as bandas I e H diminuem de largura.
A contração muscular se dá pelo deslizamento dos filamentos de actina sobre os de miosina. Essa idéia é justamente conhecida como teoria do deslizamento dos filamentos.
Nas pontas dos filamentos de miosina existem pequenas projeções, capazes de formar ligações com certos sítios dos filamentos de actina quando o músculo é estimulado.
As projeções da miosina puxam os filamentos de actina como dentes de uma engrenagem, forçando-os a deslizar sobre os filamentos de miosina, o que leva ao encurtamento das miofibrilas e à consequente contração da fibra muscular.

Contração Muscular

O estímulo para a contração é geralmente um impulso nervoso que se propaga pela membrana das fibras musculares, atingindo o retículo sarcoplasmático (um conjunto de bolsas membranosas citoplasmáticas onde há cálcio armazenado), que libera íons de cálcio no citoplasma.
Ao entrar em contato com as miofibrilas, o cálcio desbloqueia os sítios de ligação de actina, permitindo que se ligue a miosina, iniciando a contração muscular.
Assim que cessa o estímulo, o cálcio é rebombeado para o interior do retículo sarcoplasmático e cessa a contração muscular.
A energia para contração muscular é suprida por moléculas de ATP (produzidas durante a respiração celular).
O ATP atua na ligação de miosina à actina, o que resulta na contração muscular.
Mas a principal reserva de energia nas células musculares é a fosfocreatina, onde grupos de fosfatos, ricos em energia, são transferidos da fosfocreatina para o ADP, que se transforma em ATP.
Quando o trabalho muscular é intenso, as células musculares repõem seus estoques de ATP e de fosfocreatina, intensificando a respiração celular, utilizando o glicogênio como combustível.

http://www.sci.sdsu.edu/movies/actin_myosin_gif.html

Tetania e Fadiga Muscular

A estimulação contínua faz com que o músculo atinja um grau máximo de contração, o músculo permanece contraído, condição conhecida como tetania. É um distúrbio caracterizado por contrações musculares tônicas intermitentes, acompanhadas de tremores, paralisias e dores musculares.
tetania não é uma doença, mas um sintoma que pode ocorrer em diversas doenças e condições médicas. A estimulação contínua do músculo faz com que ele permaneça contraído.
Uma tetania muito prolongada ocasiona a fadiga muscular.
Um músculo fadigado, após se relaxar, perde por um certo tempo, a capacidade de se contrair.
Pode ocorrer por deficiência de ATP, incapacidade de propagação do estímulo nervoso através da membrana celular ou acúmulo de ácido lático.

Classificação quanto à forma

Planos = têm fibras paralelas, frequentemente com uma aponeurose.
Ex: M. oblíquo externo do abdome (músculo plano largo).
O M. sartório é um músculo plano estreito com fibras paralelas.
Peniformes = são semelhantes a penas na organização de seus fascículos, e podem ser semipeniformes,
peniformes ou multipeniformes.
Ex: M. extensor longo dos dedos (semipeniforme).
M. reto femoral (peniforme).
e M. deltoide (multipeniforme).
Fusiformes = têm formato de fuso com um ou mais ventres redondos e espessos, de extremidades afiladas.
Ex: M. bíceps braquial.
Circulares ou esfincterianos = circundam uma abertura ou orifício do corpo, fechando-os quando se
contraem.
Ex: M. orbicular da boca (fecha a boca).

Quadrados = têm quatro lados iguais.
EX: M. reto do abdome entre suas interseções tendíneas.
Triangulares (convergentes) =  originam-se em uma área larga e convergem para formar um único tendão.
Ex: M. peitoral maior.
Com múltiplas cabeças ou múltiplos ventres = têm mais de uma cabeça de inserção ou mais de um ventre contrátil, respectivamente.
Os músculos bíceps têm duas cabeças de inserção (p. ex., M. bíceps braquial);
Os músculos tríceps têm três cabeças de inserção (p. ex., M. tríceps braquial);
Os mm. digástrico e gastrocnêmio têm dois ventres (no primeiro, a organização é em série; no segundo, em paralelo).

Classificação quanto à função

A movimentação de uma parte do corpo depende da ação de músculos que atuam agonicamente e antagonicamente.
Por exemplo, a contração do músculo bíceps e o relaxamento do tríceps, provocam a flexão do membro superior.
Agonistas: São os músculos principais que ativam um movimento específico do corpo, eles se contraem ativamente para produzir um movimento desejado.
Antagonistas: Músculos que se opõem à ação dos agonistas, quando o agonista se contrai, o antagonista relaxa progressivamente, produzindo um movimento suave.
Sinergistas: São aqueles que participam estabilizando as articulações para que não ocorram movimentos indesejáveis durante a ação principal.
Fixadores: Estabilizam a origem do agonista de modo que ele possa agir mais eficientemente. Estabilizam a parte proximal do membro quando move-se a parte distal.

Fibras musculares lentas e rápidas

As fibras musculares esqueléticas diferem quanto ao tempo que levam para se contrair, podendo levar um tempo de até 5 vezes maior do que as rápidas para se contrair.
As fibras musculares lentas ou Tipo I = estão adaptadas à realização de trabalho contínuo, possuem maior quantidade de mitocôndrias, maior irrigação sanguínea e grande quantidade de mioglobina, capaz de estocar gás oxigênio.
As fibras rápidas ou Tipo II = são pobres em mioglobina, estão presentes em músculos adaptados à contrações rápidas e fortes.
Esses dois tipos de fibras podem ser diferenciados apenas ao microscópio por meio de corantes especiais.

Origem e inserção

Quando um músculo contrai e encurta, uma de suas extremidades geralmente permanece fixa, enquanto a outra extremidade (mais móvel) é puxada em direção a ele, resultando em movimento.
A origem geralmente é a extremidade proximal do músculo e que permanece fixa durante a contração, ou seja, é a extremidade presa ao osso que não se desloca (ponto fixo).
A inserção é a extremidade distal do músculo que se movimenta durante a contração, ou seja, é a extremidade presa ao osso que se desloca (ponto móvel).

Componentes anatômicos

Fáscia = lâmina de tecido fibroso na qual se fixam alguns músculos, e separam os ventres.
Retináculo = é um tecido fibroso cuja função é estabilizar um tendão, por exemplo, no local correto.
Ligamento = feixe fibroso que liga entre si os ossos articulados ou mantém os órgãos nas respectivas posições.
Aponeurose = é uma estrutura formada por tecido conjuntivo.
Membrana que envolve grupos musculares.
Geralmente apresenta-se em forma de lâminas ou em leques.
Bainhas Tendíneas = são estruturas do tipo fibrosa (marcação azul) e sinovial (marcação vermelha) que formam pontes ou túneis entre as superfícies ósseas sobre as quais deslizam os tendões.
Bolsas Sinoviais (Bursas) = são encontradas entre os músculos ou entre um músculo e um osso.
São pequenas bolsas forradas por uma membrana serosa que possibilitam o deslizamento muscular.

Tônus muscular

Os músculos mantêm-se normalmente em um estado de contração parcial, o tônus muscular, que é causado pela estimulação nervosa, e é um processo inconsciente que mantém os músculos preparados para entrar em ação.
Quando o nervo que estimula um músculo é cortado, este perde tônus e se torna flácido.
Estados de tensão emocional podem aumentar o tônus muscular, causando a sensação física de tensão muscular.
Nesta condição, gasta-se mais energia que o normal e isso causa a fadiga.

Tipos de contração

a) Contração Concêntrica: o músculo se encurta e traciona outra estrutura, como um tendão, reduzindo o ângulo de uma articulação.
b) Contração Excêntrica: quando aumenta o comprimento total do músculo durante a contração.
c) Contração Isométrica: servem para estabilizar as articulações enquanto outras são movidas.
É responsável pela postura e sustentação de objetos em posição fixa.

CONTINUE SEUS ESTUDOS, VEJA TAMBÉM:

Articular
Digestório
Cardiovascular
Endócrino
Esquelético
Nervoso
Linfático
Muscular
Reprodutor
Respiratório
Sensorial
Urinário

Referências Bibliográficas

BONTRAGER: Kenneth L.;  John P.  Manual Prático de Técnicas e Posicionamento Radiográfico. 8 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.
JUNQUEIRA & CARNEIRO: Junqueira, L.C.; Carneiro, J. Histologia Básica – texto e atlas.
12ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.
MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011
SOBOTTA: Sobotta J. Atlas de Anatomia Humana. 21ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.
Aproveite e baixe nosso material de Tecido muscular totalmente grátis. Basta fazer seu login e aproveitar ao máximo mais esta novidade do site anatomia papel e caneta.
Espere só mais um pouco, não se esqueça de compartilhar a página com seus amigos.
Bons estudos!

Deixe uma resposta